domingo, 22 de abril de 2012

O Dia da Terra

Hoje comemoramos o dia da terra (para saber sobre isto leia o site www.calendarr.com ou o site oficial www.earthday.org) este dia é muito importante para repensarmos nossas ações para com este planeta, e também, refletirmos sobre as grandes riquezas provenientes da terra. Temos estudado que nosso país é um país de grandes riquezas, que a terra é abençoada para a prática da agricultura e que todos nós indiretamente ou diretamente dependemos do trabalho da terra.

Dessa forma, os últimos acontecimentos que temos presenciado está semana comprova que a história é viva, pois a luta pela terra ainda permanece, compreendemos que vivemos de permanências e transformações. Pois, nos sétimo anos estamos estudando as organizações produtivas no espaço rural e as relações de trabalho existentes neste espaço, como por exemplo a luta dos seringueiros no nosso Estado. E atualmente pela mídia televisiva ou pela rede mundial somos informados do conflito entre índios e fazendeiros no sul. O conflito já existe há mais de 30 anos e "Em nota, a Funai diz que a área de 54 mil hectares entre os municípios de Itaju do Colônia, Camacã e Pau Brasil, é reserva indígena e que o estado da Bahia, indevidamente, passou a titular essas terras na época da expansão das lavouras de cacau. A fundação também aguarda decisão do Supremo Tribunal Federal."(http://g1.globo.com)

Além deste conflito, em várias localidades houve manifestação dos sem-terra em lembrança aos 19 anos do massacre no Eldorado dos Carajás, onde 19 sem-terras foram mortos pela Polícia Militar, que tentava reprender o desbloqueio da rodovia PA-150 no Sudeste do Pará. O número de trabalhadores rurais que sofrem com conflitos de terra aumenta a cada dia, seja pela grilagem, pela escravidão contemporânea ou pela posse indevida da terra. Apesar de estarmos bem distante desta realidade devemos fechar os olhos para uma realidade iminente? sermos complacente? o que cabe a nós?

Nenhum comentário:

Postar um comentário